Jogar para R$ 18 mil seria uma afronta à população

Nem R$ 12 mil, nem R$ 18 mil, mas R$ 15 mil - Por Valdemir Caldas

Afunilam-se as negociações sobre o possível reajuste salarial dos vereadores que vão assumir a Câmara Municipal de Porto Velho, a partir de janeiro de 2017.
Na manhã de quarta-feira (16), o assunto voltou a dominar a pauta de uma reunião que aconteceu no gabinete da presidência da Casa.

Manter os 12 mil, com a correção anual da inflação, teria sido definitivamente descartado. Incinerou-se, assim, a proposta dos vereadores José Wildes (PDT) e Fátima Ferreira (PT). Jogar para R$ 18 mil seria uma afronta à população. O martelo teria sido batido nos R$ 15 mil.

O vereador Cláudio da Padaria (PDT) deixou o recinto cuspido fogo pelas narinas. Para ele, nada justifica o provável aumento, “não somente pelo momento difícil por que passa o país, como a própria Câmara, com sérias dificuldades para garantir a folha de pagamento”. Se a matéria chegar ao plenário, Cláudio disse que votará contra.

Recentemente, o Ministério Público de Contas de Rondônia recomendou a Câmara Municipal que se abstenha de reajustar a remuneração dos membros daquele poder, já que, por lei, a matéria devia ter sido votada antes do pleito eleitoral. Se a população não pressionar, contudo, o aumento vai sair.  

 

Fonte: Valdemir Caldas

Comentários: